Corrupção: está em todos os países



CORRUPÇÃO: ESTÁ EM TODOS OS PAÍSES

O Brasil (acredite) tem um nível moderado!

www.economiasociedade.com

02/11/2011

         O gráfico abaixo revela o último estudo da Transparency International, divulgado ontem. Nesse estudo, que apresenta os pontos relativos a 28 países importantes, mostra que  Brasil  está exatamente no meio da lista. Quanto mais próximo da origem for o país (mais for sua posição para a esquerda e para baixo), mais corrupto é, no grau de corrupção percebida. 


Imagem retirada do site: www.economist.com

      

           É por isso que Indonésia/México/China/Rússia são, no gráfico, os mais próximos da origem, coincidindo com as últimas notas –maiores- da lista abaixo (25/26/27/28). O Brasil (nota 14) é o País menos corrupto dos BRICS (Rússia-28, Índia-19, China-27, África do Sul-15). Esta conclusão não deixa de ser uma surpresa entre os brasileiros mais pessimistas. Porém, a responsabilidade da empresa pesquisadora (Transparency) e da revista inglesa The Economist e nos dá o direito de desacreditar!

         A pesquisa foi feita entre 3.000 executivos de grandes empresas publicada no Bribe Payers Index, procurando saber se, pela sua experiência, esses administradores achavam que havia corrupção entre executivos das suas empresas e gestores públicos, em cada país.

         Em geral, o setor de construção, envolvendo obras públicas, é o mais grave e intenso em termos de corrupção.

         As notas de classificação de cada um dos 28 países, do menos corrupto (Holanda e Suíça) para o mais corrupto (China e Rússia) são apresentadas a seguir – alguns são empatados:

1 – Holanda

1 – Suíça

3 – Bélgica

4 – Alemanha

4 – Japão

6 – Austrália

6 – Canadá

8 – Cingapura

8 – Estados Unidos

10 – Reino Unido

11 – França

11 – Espanha

13 – Coréia do Sul

14 – Brasil

15 – H. Kong

15 – Itália

15 – Malásia

19 – África do Sul

19 – Taiwan

19 – Índia

19 – Turquia

22 – Arábia Saudita

23 – Argentina

23 – Emirados Árabes

25 – Indonésia

26 – México

27 - China

28 - Rússia

Referências:

www.economist.com, 02/11/2011

 

(Este artigo foi publicado em www.economiasociedade.com, e http://www.econometrix.com.br)



    Osmundo Rebouças


    Economista pela UFRJ; Mestre e PhD pela universidade de Harvard(EUA); foi professor da FEA-USP; Técnico do IPEA; Deputado Federal constituinte; Diretor do Banco do Nordeste; trabalhos publicados nas áreas de Macroeconomia, finanças públicas e economia regional; Presidente do Conselho deliberativo da CARE Brasil-SP(1998-2001); Expositor em conferências nacionais e internacionais; consultor de empresas.