Israel: Um exemplo de desenvolvimento bem sucedido



                 ISRAEL: UM EXEMPLO DE DESENVOLVIMENTO BEM SUCEDIDO

                   Pedro Sisnando Leite* 

Introdução 

Cada sociedade tem uma vida própria  baseada na existência de certas forças produtivas, ideias, valores, num certo tipo de caráter humano e  condições geográficas e climáticas, segundo Erich Fromm explica  em: “ A Sobrevivência da humanidade ( 1961)”. Além disso, as sociedades também  se modificam, explica o filósofo, levando-as da existência do habitante das cavernas até o viajante espacial.

Finalmente pergunta ele,  como ocorrem tais mudanças?  Segundo essa visão analítica, eu tenho procurado entender há  muitos anos, quais são as causas que levaram o Estado de Israel,  em pouco mais de meio século, sair de uma situação de luta pela sobrevivência num meio de limitados recursos naturais e pequena dimensão territorial para torna-se uma nação considerada  desenvolvida.

A resposta a essa pergunta está no seu povo, dizem alguns, outros argumentam que foram abundantes recursos provindos do exterior que alimentaram um processo de contínua evolução econômica. A questão é saber onde está a verdade! Muitos livros e estudos já foram elaborados para esclarecer essa exitosa experiência de desenvolvimento econômico com equidade, sem pobreza, em bases democráticas sólidas.   

Esta Crônica pretende apresentar alguns aspectos da natureza desse modelo de desenvolvimento que, em muitos aspectos, poderia servir de exemplo para o Nordeste do Brasil, onde as condições naturais são muito semelhantes.

Na verdade, há décadas venho observando o processo de desenvolvimento de Israel, especialmente no tocante a revolução rural, que tem chamado a atenção de todo o mundo. Em 1963, tive a primeira oportunidade de estar nesse país para realizar estudos de pós-graduação em desenvolvimento rural e planejamento regional, como economista do Banco do Nordeste do Brasil e bolsista da Organização dos Estados Americanos. Periodicamente voltei a visitar esse país para complementar estudo acadêmico ou em missões oficiais para tratar de questões de intercâmbio em áreas de treinamento profissional e pesquisas de interesse das instituições governamentais do Nordeste do Brasil.

Como exemplo, poderia citar a realização de estudos sobre industrialização rural e organização das cooperativas dos projetos de irrigação do Nordeste, com participação de especialistas israelenses.  Foi também de grande repercussão um programa para treinamento de especialização em planejamento e execução de programas de desenvolvimento rural integrado para técnicos nordestinos , com a participação de professores de Israel.

Essa iniciativa ocorreu em 1971-1984, com a realização de catorze cursos e o treinamento de 500 agrônomos, economistas e outras profissões afins. O patrocínio desse programa foi do Banco do Nordeste, SUDENE, Universidade Federal do Ceará, DNOCS e do Banco Central.   Para registrar e relatar essa experiência, eu elaborei um livro com a participação de vários professores de Israel, que contribuíram para esse arrojado projeto internacional de capacitação. Foi publicado pelo Banco do Nordeste/Universidade Federal do Ceará e “Settlement Study Center” de Rehovot (Israel): Estratégia e Planejamento do Desenvolvimento Rural Regional Integrado(1994). Este livro está esgotado em formato gráfico, mas pode ser acessado gratuitamente em e-book na cessão de livros no site www.econometrix.com.br.

Como professor de desenvolvimento econômico, muito me atraem as histórias de sucesso em desenvolvimento econômico, como o caso de Israel. Não pensando que elas sejam imitadas, mas para que sejam compreendidas. O Prof. Raanan Weitz, aliás, me ensinou quando estudei em Israel, que não se podem transplantar modelos, mas aprender com as experiências.

Para dar prosseguimento a esse projeto de investigação e aprendizado, viajarei para Israel na próxima semana (13/11) para reuniões na Universidade  Ben-gurion (Beer-Sheva), Centro Ruppin de Estudos de Economia e Administração e o Centro Bengis de Empreendedorismo e Alta Tecnologia; com visitas a Tel Aviv, Jerusalém e outras localidades. Desta feita, integro uma missão organizada pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará, cujo objetivo é examinar oportunidades de cooperação na área de integração entre empresas industriais e universidades, com vistas a projetos de inovação tecnológica. Desse modo, em cerca de quarenta anos, esta é a quinta fez que tenho a oportunidade de pisar o solo israelense. Desta vez, estarei acompanhado do meu filho Francisco José, que nasceu depois de minha primeira visita a Israel, e que como meu ex-aluno no curso de mestrado na UFC terá oportunidade de verificar se minhas preleções na sala de aulas sobre Israel eram verdadeiras. Aliás, certa vez um aluno me perguntou se eu conhecia Israel mais do que o Ceará...

A finalidade desta Crônica, como referido antes, é comentar alguns aspectos sobre o rápido processo de desenvolvimento econômico dessa pequena nação que, como comentei inicialmente, emergiu de uma situação incipiente e de poucos recursos naturais para um dos países mais desenvolvidos do sudoeste da Ásia.

Uma Breve História 

O historiador  Nadav Halevi, Hebrew University O historiadorNadav Halevi, da Universidade Hebraica de Jerusalém, publicou vários estudos sobre o desenvolvimento econômico e político de Israel, dos quais faço uso na preparação deste resumido texto como auxiliar de leituras mais abrangentes.

O início da história moderna de Israel tem várias datas, conforme a perspectiva que estejamos examinando.  No presente caso, o interesse é fundamentalmente de natureza econômica. Assim, pode afirmar-se  queThe history of modern Israel begins in the 1880s, when the first Zionist immigrants came to Palestine, then under Ottoman rule, to join the small existing Jewish community, establishing agricultural settlements and some industry, restoring Hebrew as the spoken national language, and creating new economic and social institutions. foi a partir da década de 1880 que os primeiros imigrantes sionistas vieram para a Palestina, então sob o domínio otomano.  Esses novos imigrantes juntaram-se à comunidade judaica existente, e passaram a construir assentamentos agrícolas, organizar pequenas indústrias, criar novas instituições e fazer uso da língua hebraica. Durante a Segunda Guerra Mundial, a população judaica foi bastante afetada com perdas de 25%. Ou seja, sobreviveram apenas 56 mil pessoas dessa comunidade em relação ao início do século.

Entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, a Palestina passou ao domínio da Grã-Bretanha, cuja formalização ocorreu Britain's control was formalized in 1920, when it was given the Mandate for Palestine by the League of Nations. em 1920, por Mandato da Liga das Nações. During the Mandatory period, which lasted until May 1948, the social, political and economic structure for the future state of Israel was developed. Até 1948, a estrutura social, política e econômica do Estado de Israel foi se desenvolvendo, com as Though the government of Palestine had a single economic policy, the Jewish and Arab economies developed separately, with relatively little connection. economias judaica e árabe seguindo caminhos diferentes. Esse fenômeno deu-se principalmente com a base no fluxo de capital da parte judaica e através de um renovado fluxo de imigrantes sionistas. Em curto espaço de tempo, cerca de 630 mil pessoas chegaram à Palestina, correspondente a quase 1/3 da população residente. Two factors were instrumental in fostering rapid economic growth of the Jewish sector: immigration and capital inflows.

O produto interno líquido apresentou uma elevada taxa de crescimento no setor judaico entre 1922-1947, chegando a representar 50% do total da economia. Mesmo sendo a agricultura um dos objetivos ideológicosNDP per capita in the Jewish sector grew at a rate of 4.8 percent; by the end of the period it was 8.5 times larger in than in 1922, and 2.5 times larger than in the Arab sector (Metzer, 1998). do novo estado em formação, nunca esse setor ultrapassou 15% do produto interno líquido total da economia judaica. Manufacturing grew slowly for most of the period, but very rapidly during World War II, when Palestine was cut off from foreign competition and was a major provider to the British armed forces in the Middle East. A indústria que crescia lentamente, foi muito estimulada pela demanda provocada pelas necessidades geradas pela Segunda Guerra Mundial. A salient feature of the Jewish economy during the Mandatory period, which carried over into later periods, was the dominant size of the services sector – more than half of total NDP. Mas foi o setor serviços, no entanto, que teve o melhor desempenho : educação, saúde serviços financeiros, com geração de 50% da renda total. 

A Criação e Desenvolvimento Inicial de Israel- 1948-1965 

The state of Israel came into being, in mid May 1948, in the midst of a war with its Arab neighbors. O Estado de Israel surgiu, na prática, em maio de 1948, durante a guerra com seus vizinhos árabes. Os primeiros desafios dessa fase foram enormes, tanto para enfrentar despesas com o conflito bélico,The immediate economic problems were formidable: to finance and wage a war, to take in as many immigrants as possible (first the refugees kept in camps in Europe and on Cyprus), to provide basic commodities to the old and new population, and to create a government bureaucracy to cope with all these challenges. como acolher as ondas de imigrantes que se avolumavam , criar um novo sistema de administração burocrática e fornecer bens essências básicos para toda a população.

O acordo de cessar-fogo entre as partes em litigio foi assinado em 1949Cease-fire agreements were signed during 1949., ao tempo em queBy the end of that year a total of 340,000 immigrants had arrived, and by the end of 1951 an additional 345,000 (the latter including immigrants from Arab countries), thus doubling the Jewish population. 340 mil imigrantes chegaram à terra da Bíblia , além de outros 345 mil nos dois anos seguintes , duplicando a população judaica. Immediate needs were met by a strict austerity program and inflationary government finance, repressed by price controls and rationing of basic commodities. Tornou-se necessário, por isso,  adotar uma nova politica A New Economic Policy was introduced in early 1952. econômica em 1952 focada naIt consisted of exchange rate devaluation, the gradual relaxation of price controls and rationing, and curbing of monetary expansion, primarily by budgetary restraint. desvalorização cambial, o relaxamento gradual dos preços e expansão monetária através do controle orçamentário.

Segundo Don Petinkin (1967), a economia de Israel cresceu a uma taxa média anual de 11% do PIB entre Active immigration encouragement was curtailed, to await the absorption of the earlier mass immigration.From 1950 until 1965, Israel achieved a high rate of growth: Real GNP (gross national product) grew by an average annual rate of over 11 percent, and per capita GNP by greater than 6 percent. 1950 até 1965, e per capita superior a 6 por cento real. De fato, Israel What made this possible?Israel was fortunate in receiving large sums of capital inflows: US aid in the forms of unilateral transfers and loans, German reparations and restitutions to individuals, sale of State of Israel Bonds abroad, and unilateral transfers to public institutions, mainly the Jewish Agency, which retained responsibility for immigration absorption and agricultural settlement. recebeu nesse período elevadas somas de capital. Foram ajuda dos EUA em transferências unilaterais e empréstimos, reparações alemãs , venda de Títulos do Estado de Israel no exterior e transferências às instituições públicas, principalmente para Agência Judaica, que assumiu a responsabilidade pela absorção de imigração e colonização agrícola. Thus, Israel had resources available for domestic use – for public and private consumption and investment – about 25 percent more than its own GNP.

Desse modo, Israel contou com recursos para uso doméstico  para consumo público e privado e para  investimentos - cerca de 20 por cento superiores ao seu próprio PNB.  This made possible a massive investment program, mainly financed through a special government budget. Isso tornou possível um programa de investimentos maciços, principalmente financiado através de um orçamento especial do governo ( Jacob Matzer, 1998). Both the enormity of needs and the socialist philosophy of the main political party in the government coalitions led to extreme government intervention in the economy.

O principal partido político no poder era de filosofia  socialista, que elevou a intervenção governamental na economia em padrão extremo. Foram adotadas políticas protecionistas Governmental budgets and strong protectionist measures to foster import-substitution enabled the development of new industries, chief among them textiles, and subsidies were given to help the development of exports, additional to the traditional exports of citrus products and cut diamonds. para promover a substituição de importações, instalar novas indústrias, e proporcionar subsídios para ajudar o desenvolvimento das exportações de produtos tradicionais e diamantes lapidados.

Durante as quatro décadas, de meados dos anos 1960 até o presente, a economia de Israel se desenvolveu e mudou, assim como a política econômica. A major factor affecting these developments has been the Arab-Israeli conflict. O principal fator que tem afeta esse processo de evolução e prosperidade tem sido o conflito árabe-israelense.The most dramatic event of the 1960s was the Six Day War of 1967, at the end of which Israel controlled the West Bank (of the Jordan River) – the area of Palestine absorbed by the Jordan since 1949 – and the Gaza Strip, controlled until then by Egypt. O evento mais dramático da década de 1960 foi a Guerra dos Seis Dias (1967), no final da qual Israel controlava a Cisjordânia, correspondente  a área da Palestina absorvida pela Jordânia desde 1949 - e a Faixa de Gaza, controlada até então pelo Egito( Efraim Kleiman, 2003). Outro conflito  grave foi o de Yom Kyppur, em 1973.

As Novas Politicas Econômicas 

By late 1977 a considerable degree of trade liberalization had taken place. A reorientação da politica econômica mencionada  ocorreu no final de 1977, caracterizada por um considerável grau de liberalização do comércio, até então de orientação protecionista. Outra mudança em 1998 foi o In October of that year, Israel moved from a fixed exchange rate system to a floating rate system, and restrictions on capital movements were considerably liberalized. do sistema de câmbio fixo para um sistema de taxa flutuante, e as restrições aos movimentos de capitais foram  liberalizados. Essas políticas  motivaram uma However, there followed a disastrous inflationary spiral which curbed the capital liberalization process.  espiral inflacionária desastrosa, que limitou o processo de liberalização de capitais e outras consequências pertinentes.Capital flows were not completely liberalized until the beginning of the new century. 

Na década de  1980 e 1990, tiveram prosseguimento as medidas de liberalização na política monetária, nos mercados de capitais domésticos, e em vários instrumentos de interferência governamental na atividade econômica. The role of government in the economy was considerably decreased. De modo geral, pode dizer-se que o  papel do governo na economia foi diminuído consideravelmente. On the other hand, some governmental economic functions were increased: a national health insurance system was introduced, though private health providers continued to provide health services within the national system. Ao mesmo tempo, algumas funções governamentais  e econômicas foram aumentadas, como o sistema de seguro nacional de saúde. Seguindo uma filosofia da social democrata.

O Governo aumentou também os subsídios de desemprego, abonos, pensões de velhice e  apoio ao rendimento mínimo. These transfer payments compensated, to a large extent, for the continuous growth of income inequality, which had moved Israel from among the developed countries with the least income inequality to those with the most. Essas despesas  de transferência compensatórias foram adotadas visando corrigir  o crescimento contínuo  das desigualdade de renda.  Segundo estimativas do Banco Mundial, eBy 2003, 15 percent of the government's budget went to health services, 15 percent to education, and an additional 20 percent were transfer payments through the National Insurance Agency.m 2003, 15% do orçamento do governo foram destinados  para os serviços de saúde, 17% para a educação, e 20% para pagamentos por transferência através da Agência Nacional de Seguros.

Devido aos desequilíbrios  orçamentários, aBeginning in 2003, the Ministry of Finance embarked upon a major effort to decrease welfare payments, induce greater participation in the labor force, privatize enterprises still owned by government, and reduce both the relative size of the government deficit and the government sector itself.  partir de 2003, o Ministério das Finanças iniciou um grande esforço para diminuir os pagamentos de previdência social,  privatizar empresas ainda de propriedade do governo, e reduzir tanto o tamanho relativo do déficit público e do próprio governo. These activities are the result of an ideological acceptance by the present policy makers of the concept that a truly free market economy is needed to fit into and compete in the modern world of globalization. Essas orientações decorreram dos novos conceitos ideológicos de que uma economia de mercado verdadeiramente livre é necessária para se encaixar e competir no mundo moderno da globalização.

A Revolução Agrícola 

O desenvolvimento agrícola não só foi a  base do “ Take-off”  da prosperidade de   Israel, mas a concepção ideológica do sionismo no retorno à palestina. Quando os judeus emigraram para a palestina, na fase da pré-criação do novo Estado, não havia ainda um projeto definido de organizar-se uma nação  industrializada e com poder militar comparável às grandes potências hegemônicas de então. O planejamento econômico que hoje é uma referência, nasceu progressivamente a partir da década de 60.  Eu mesmo, como estudante dessa disciplina naquele país, acompanhei na mesa de desenho os desdobramentos da elaboração de um dos primeiros projetos de desenvolvimento regional daquele país.

O Plano Regional de Lahish (1960), situado no meio do caminho entre Tel Aviv e Beer-Sheva, foi coordenado pelo meu saudoso Prof. Raanan Weitz, que é considerado o pai do moderno desenvolvimento rural de Israel. Na próxima semana, provavelmente, estarei visitando a Cidade de Kiriat Gat, capital dessa Região,  que hoje é um aglomerado urbano importante, muito diferente do povoado que conheci no passado.

Lembro-me que da última vez que estive nesse local, encontrei-me com um dos colonos pioneiros desse projeto e ao relembrarmos os grandes sacrifícios que essa comunidade teve de superar, terminamos vertendo lágrimas de recordações de toda essa saga que aquelas pessoas tiveram de passar.

É bom destacar que essa experiência não é única em Israel, pois há muitas histórias que poderiam ser relatadas sobre  as lutas de superação na diversidade de  condições naturais, que vão de terras férteis  (com 900 mm anuais de chuvas) a amplas áreas semiáridas, áridas e de desertos onde as precipitações pluviométricas nunca ultrapassam 20 mm anual.  

As mudanças na modernização da agricultura desse país nas últimas décadas têm sido desconcertantes pelos seus resultados. Podemos resumir dizendo que a agricultura de Israel hoje é dinâmica e baseada em avançada tecnologia.

Um ex-ministro da agricultura, Eliyahu Yishai (2007) esclarece que a exploração agrícola desse setor é realizada por pequeno número de fazendeiros inovadores e eficientes, cujas realizações são reconhecidas mundialmente.  São sistemas de irrigação por gotejamento, mecanização automática, alta qualidade das sementes das plantas e manejos de grande sofisticação. A produção é destinada a abastecer o mercado interno e para exportação. “Nós somos motivados pelo desejo de fazer o deserto  florescer  e encontrar soluções  para as limitações  de terra e água” (Yishai).

Um exemplo para o Nordeste é  o Plano Nacional de Água de Israel que  destina a irrigação de todo o país apenas 800 milhões de metros cúbicos anual, ou seja, menos de 1/5 da capacidade estática do reservatório do   Castanhão no Ceará.

Atualmente a agricultura israelense representa 2,4% do PIB total e 4% das exportações. Ao longo dos anos, como ocorreu com os países desenvolvidos, a participação relativa da agricultura e das exportações agrícolas tem decrescido em termos relativos em comparação aos setores de indústria e serviços. Mas em termos absolutos, tem ocorrido uma evolução continuada por mais de cinco décadas. Desde que Israel obteve sua independência  em 1948, o total de sua área cultivada cresceu de 165 mil hectares para 500 mil  e o número de comunidades evoluiu de 400 para 900, inclusive 165 vilas árabes.

A população residente no quadro rural  é de aproximadamente  650 mil pessoas  distribuídas nos Kibutzim( coletivos), Moschavim (cooperativas),   e o restante deles em unidades privadas (israelenses e árabes).

É bom esclarecer que a maior parte dos que vivem nessas áreas não está ocupada na agricultura , mas engajada  em atividades industriais e de serviços públicos e privados.  As pessoas ligadas diretamente às lides agrícolas  são apenas 80 mil adultos, dos quais 70% são contratadas  e o restante é de auto-emprego  e  membros da família. Para efeito de comparação, no Ceará estão ocupadas na agricultura 1,2 milhões de pessoas, quinze vezes mais do que Israel utiliza.

Um fato importante que se destaca na agricultura de Israel é que o grande avanço da modernização agrícola decorre  da cooperação entre pesquisadores , serviços de extensão, fazendeiros, indústrias e serviços de apoio governamentais e privados. Neste particular,  tem sido notável o apoio da “Faculty of Agricultural, Food and Environmental Quality Sciences”, da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Rehovot. 

Industrialização e Desenvolvimento Tecnológico

Israel tem uma forte , moderna e diversificada economia, que em 2009 registrou um PIB de US$ 140 bilhões, 40% dos quais constituídos de bens e serviços.  As taxas de crescimento têm sido superiores às dos países desenvolvidos, havendo alcançado um produto per capita de US$ 20 mil, superado apenas pelos países escandinavos e mais alguns poucos.

Segundo o Banco Mundial, Israel encontra-se entre as economias mais avançadas  nas indústrias de alta tecnologia.  Superado apenas pelo Vale do Silicon, na Califórnia (USA),  em concentração de firmas, e poder de crescimento na atração de investimentos industriais. Numa escala mundial,  Israel hoje é o terceiro em  graduados universitários per capita, atrás apenas dos Estados Unidos e Holanda. Ele possui o mais elevado número per capita de cientistas  do mundo e foi o que mais publicou documentos científicos, segundo esse critério.

São israelenses 15 Prêmios Nobel, principalmente nas áreas de ciências, e lidera as iniciativas dos “Start-up”, ou pioneiros em  invenções  de novas tecnologias de impacto. Tel Aviv, segundo Cidade de Israel,  é um dos dez centros  mais importantes em alta tecnologia do mundo, com 10% de toda a mão de obra ocupada em tais atividades.

O maior fator de sucesso do  progresso de Israel, por outro lado,  segundo a Dra. Dália Itzik , ex-ministra da indústria e comercio (2001), tem sido a política  clara de suporte  no encorajamento do desenvolvimento da pesquisa e os empresários inovadores. Ao mesmo tempo, Israel conta com uma força de trabalho altamente preparada e educada. Por oportuno,  é bom lembrar que Israel não tem analfabetos, mesmo sendo um país de muitas línguas (oficialmente são Hebreu e Inglês).

O que chama atenção nesse sistema educacional é a frequência escolar obrigatório, desde os cinco anos até os 18, quando se torna optativa. Não obstante, 50% dos estudantes  em idade escolar ingressam no ensino de 3º grau, relação sem paralelo em todo o mundo e acabrunhantes para nós brasileiros.

No entender de muitos estudiosos da economia de Israel, esse país foi significantemente beneficiado pelo capital social acumulado ao longo dos anos, o que ajudou o crescimento na velocidade em que  ocorreu.

De fato, muito dos imigrantes que chegaram a Israel de todas as parte do mundo, tanto antes como depois de 1948,  trouxeram educação e capacitação  que aplicaram essas habilidades no desenvolvimento econômico da agricultura, inicialmente, e depois na industrialização e em outras atividades.

De minha parte, acredito que Israel inteligentemente criou instituições acadêmicas fortes  que até hoje continuam treinando os israelenses  nas mais modernas tecnologias e sistemas de gestão eficaz tanto privada como pública. Adicionalmente, desde a criação do novo estado, prevaleceu o espírito de trabalho e de religiosidade  na busca de um tipo de desenvolvimento mais igualitário e socialmente justo.  É um tipo de filosofia de vida em que a dignidade da pessoa humana está no trabalho, qualquer que ele seja. Professor, motorista de táxi ou um simples trabalhador braçal. Foi esse tipo de capital humano, orientado para superar problemas coletivamente e construir uma forte base cívica, que superou as dificuldades  e gerou um progresso sustentável.

Essas são as razões que, certamente, influenciaram para que  Israel fosse  classificado pelo “IMDIS World  Competitiviness Yearboock” no 17º lugar das nações mais desenvolvidas do mundo(2010). Nessa mesma publicação, Israel também foi classificado como a economia  mais estável em tempos de crise e em 1º lugar no nível de investimentos em pesquisa e em centros de desenvolvimento científicos. 

Desafios  para o Crescimento Futuro

Mesmo sendo o mais grave e permanente problema do país, os israelenses evitam falar sobre a questão da defesa. Como é sabido, a disputa pelas terras da palestina (de Sion ou de Israel), criaram conflitos entre os estados vizinhos  desde o final do século XIX. Tendo por fronteiras Líbano, Síria, Jordânia e Egito, ( e o mediterrâneo), a segurança contra eventuais invasões territoriais tornou-se um quebra cabeça ainda não resolvido.

As despesas com essa finalidade são de 30% do PIB, enquanto nos Estados Unidos são de 5%, Reino Unido 4,9%, e França 4%. Israel é um país  pequeno ( 20 mil quilômetros quadrados, contra 147 mil do Ceará), mesmo com a expansão das fronteiras a partir da guerra de 1967.       

Aproximadamente 50% dessa área é de território desértico ( Neguev), outra parte é árida e semiárida e talvez uns 25% são de solos agriculturáveis em condições de sequeiro, como já comentado. Acrescentes a esses fatores, a limitada disponibilidade de água, que está presente em todos os momentos da vida da população.  Com uma população de 7 milhões de pessoas, e  em crescimento constante pelas taxas de natalidade e imigração, Israel faz milagres para equacionar esse problema.

Pelo menos, teve de adotar tecnologias de alta eficiência para suprir suas  necessidades alimentares em 93% e abastecer de água excelente a numerosa população e consumo  animal. Mesmo assim, os agricultores exportam citros, maçãs e flores para muitos países do mundo.

Em decorrência do que foi avaliado até aqui, pode-se presumir que Israel vai continuar e tornar-se um Estado fundamentado na industrialização de alta tecnologia e exportador de conhecimentos inovadores em todos os campos das necessidades humanas. Por isso, o Ceará tem muito que aprender dessa experiência para eliminar sua  pobreza e desigualdade. Pessoalmente estou convicto disso! 



    Pedro Sisnando


    Economista com pós-graduação em desenvolvimento econômico e planejamento regional em Israel. Atualmente é vice-presidente do Instituto do Ceará (Histórico,  Gegráfico e Antropológico) e da Academia de Ciências Sociais do Ceará, bem com sócio fundador da Academia Cearense de Ciências. É professor titular  (aposentado) do programa de mestrado (CAEN) da Universidade Federal do Ceará, onde foi também Pró-Reitor de Planejamento. No Banco do Nordeste, ocupou o cargo de economista  e Chefe da Divisão de Estudos Agrícolas do Escritório Técnico de Estudos Econômicos(ETENE). No período de 1995-2002, exerceu a função de Secretário de Estado de Desenvolvimento Rural do Ceará. Publicou cerca de 40 livros em sua área de especialização e escreveu muitos artigos para jornais e revistas.