Fato Econômico da Semana



FATO ECONÔMICO DA SEMANA

 

Um fato marcante pode ser escolhido para representar o comportamento do sistema econômico nacional: a Resolução do COPOM reduzindo a SELIC de 11,0% para 10,5%. Ou seja, uma queda de 0,5 pontos percentuais.

Que efeitos essa medida poderá ter sobre a economia e a indústria do Ceará? 

Todos sabem que a taxa de juros tem uma forte influência sobre o consumo e sobre o investimento. Sobre o consumo porque facilita a venda a crédito; sobre o investimento porque barateia o custo dos empréstimos para investimento. 

Assim, teoricamente, a tendência seria aumentar o consumo e em um prazo mais longo, aumentar a produção. Ambos os efeitos são benéficos para o setor produtivo. 

Há de se destacar que somente o fato de haver a possibilidade de maior consumo, pode induzir o produtor a produzir mais, aproveitando o percentual de capacidade ociosa existente na indústria. Veja-se que no último mês (outubro) analisado pelo INDI sobre esta variável na indústria de transformação, foi registrada uma marca de capacidade ociosa da indústria cearense ao derredor dos 20,0%. 

Quanto a queda da SELIC vai influenciar no uso dessa capacidade instalada, não é possível estimar. Mas inferir que ela pode aumentar, isto é factível.



    Pedro Vianna


    Sócio fundador da Econometrix e da TPJ Economistas Associados, com 40 anos de experiência na área da Ciência Econômica. Foi Diretor do Sistema BEC/BANDECE. Foi chefe do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste-ETENE, do BNB. Foi Vice-Presidente da Associação de Bancos de Desenvolvimento - ABDE. Foi Professor Titular em Ciência Econômica da Universidade Federal do Ceará. Foi Professor Pesquisador do Seminar Für Allgemeine Betriebswirtschaftslehre, Beschaffung und Produktpolitik, e do Institut Für Finanzwissenschaft, ambos da Universidade de Colônia (Alemanha). Especialista nas áreas de Economia Internacional e Ciência Tributária.