Comércio externo do Brasil: Falácias



COMÉRCIO EXTERNO DO BRASIL: FALÁCIAS

Osmundo Rebouças

Segundo o Prof. Delfim Netto, nossas exportações vão mal, comparando com a Coreia, China e outros países emergentes. Por exemplo, nossa participação nas exportações, nas últimas três decadas, não acompanhou a evolução de desses emergentes bem sucedidos. Mas a propaganda oficial ficando tecendo loas ao nosso comércio internacional, porém a história verdadeira é outra. Estamos perdendo a participãção no comércio mundial. "Há anos estamos destruindo cuidadosamente essa "isonomia". Não é preciso ser físico quântico. Um modesto economista entende que a capacidade de pagar importações com exportações condiciona o crescimento econômico possível, sem criar problemas no financiamento do balanço em conta-corrente", diz Delfim. (Folha de SP, 18/04/2012). www.economiasociedade.com.




    Osmundo Rebouças


    Economista pela UFRJ; Mestre e PhD pela universidade de Harvard(EUA); foi professor da FEA-USP; Técnico do IPEA; Deputado Federal constituinte; Diretor do Banco do Nordeste; trabalhos publicados nas áreas de Macroeconomia, finanças públicas e economia regional; Presidente do Conselho deliberativo da CARE Brasil-SP(1998-2001); Expositor em conferências nacionais e internacionais; consultor de empresas.