Considerações animalescas



Considerações animalescas

Gustavo Maia Gomes

Está sendo realizada, no Recife, a Feira Nacional de Produtos e Serviços da Linha Pet e Veterinária, Fenapet. Um sucesso: até um dia antes do encerramento, 22 mil pessoas já tinham comparecido e comprado para seus cães e gatos, entre outras coisas, protetores solares, unhas postiças e ofurôs.

Estimativas das vendas totais não foram fornecidas, mas a Fenapet serviu para confirmar e reforçar o atual dinamismo e as boas perspectivas da economia de Pernambuco. Depois da refinaria de petróleo, do estaleiro naval e do polo petroquímico, o estado vai ganhar uma fábrica de sorvete para gatos e cachorros.

Cuidar dos bichinhos, limpar seu cocô, banhá-los regularmente são atividades prazerosas aos que possuem animais domésticos, que se tornam verdadeiros membros das famílias. Lindo. Mas, há um problema. A excessiva concentração em apenas dois animais pode levar a uma exaustão do mercado. É por isso que os economistas do ramo se preocupam em difundir o interesse por outros bichos.

De uma missão assim tão importante, não poderia eu me omitir, mesmo sem ser especialista na área. Portanto, nas fotos e legendas abaixo, dou duas sugestões de novos animais de estimação.

 


Este artigo está sendo publicado, simultaneamente, em

http://www.blogdatametrica.com.br

http://www.econometrix.com.br

http://www.gustavomaiagomes.blogspot.com

(15/05/2012)



    Gustavo Maia Gomes


    Phd em Economia (University of Illinois, USA, 1985); Visiting Scholar (Cambridge University, England, 1987/88), Diretor do Ipea (Brasília, 1995-2003); Professor de economia da Universidade Federal de Pernambuco (1976-2009), Secretário de Planejamento de Pernambuco (1991), autor de livros e artigos; economista e escritor.