Valor distribuído aos acionistas, em dinheiro, na proporção da quantidade de ações possuídas. Normalmente, é resultado dos lucros obtidos por uma empresa, no exercício corrente ou em exercícios passados.



Dividendo distribuído às ações emitidas dentro do exercício social proporcionalmente ao tempo transcorrido até o seu encerramento.



Dividendo que, caso não seja pago em um exercício, se transfere para outro.



Denomicação dada às várias espécies de papéis negociáveis, ou valores comerciais sobre o estrangeiro.



An arbitrary number chosen at the starting date of an index to fix the index starting value (i.e. 1000.0). The divisor is also adjusted when capitalisation amendments are made to the constituents of the index in order to allow the index value to remain comparable over time. Without a divisor the index value would change when corporate actions took place and would not reflect the true value of an underlying portfolio based upon the index.



A DLSP é definida como o balanceamento entre as dívidas e os créditos do setor público não-financeiro e do Banco Central. Os saldos são apurados pelo critério de competência, ou seja, a apropriação de encargos é contabilizada na forma pro rata, independente da ocorrência de liberações ou reembolsos no período. Eventuais registros contábeis que não utilizam esse critério são corrigidos para manter a homogeneidade da apuração. A Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) é utilizada como base para o cálculo do déficit público "abaixo da linha". Os saldos da dívida externa brasileira são primeiramente convertidos para dólar americano, e posteriormente convertidos para reais pela cotação de venda do dólar dos Estados Unidos no mercado de câmbio de taxas livres. Diferentemente de outros países, o conceito de dívida líquida utilizado no Brasil considera os ativos e passivos financeiros do Banco Central, incluindo, dessa forma, a base monetária como componente da dívida, principalmente, pelo fato de constituir forma de financiamento, como será desenvolvido no item das necessidades de financiamento do setor público.



É uma ordem de transferência de fundos interbancária (uma forma de transferência entre contas de bancos diferentes), de valor inferior a R$5.000,00, liquidada por intermédio da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP).



Semelhante ao dólar paralelo, com a diferença que o valor é transferido eletronicamente para uma conta corrente no exterior, portanto não ocorrendo nessa transação o manuseio físico das cédulas de dólar.



Taxa de câmbio utilizada nas operações comerciais do país, no pagamento do serviço da dívida externa e nas remessas de dividendos das empresas com sede no exterior.



Taxa de câmbio utilizada nas principais operações financeiras e na conversão de dólares de residentes.



Dólar negociado na BM&F, para liquidação futura.



É o valor para comprar ou vender dólar fora dos meios oficiais de conversão, geralmente realizada através de doleiros. Também conhecido como dólar black ou câmbio negro.



Dólar negociado no mercado à vista, geralmente com liquidação em dois dias úteis (D2).



Limite de crédito autorizado na Lei de Orçamento Anual ou Crédito Adicional, com vistas atender os gastos do exercício financeiro.



Toda e qualquer verba prevista como despesa em orçamentos públicos e destinada a fins específicos. Qualquer tipo de pagamento que não tenha dotação específica só pode ser realizado se for criada uma verba nova ou dotação nova para suprir a despesa.



Bitributação. Incidência de dois tributos diferentes sobre uma mesma base de cálculo.



Índice utilizado para acompanhar a evolução dos negócios na Bolsa de Valores de Nova York . Seu cálculo é feito a partir de uma média das cotações entre as trinta empresas de maior importância na bolsa de valores, as vinte companhias ferroviárias mas destacadas e as quinze maiores empresas concessionárias de serviços públicos.



Índice da Bolsa de Nova York, criado em 1986. Representa a rentabilidade do grupo de ações mais movimentadas diariamente no pregão.



Paralisação. Período de tempo em que uma máquina permanece ociosa, independente da vontade do operador, para ajustes, manutenção ou reparo.



São títulos emitidos por Bancos Comerciais, Múltiplos com carteira comercial e Caixas Econômicas, com prazo de, no mínimo, dois meses e que pagam a TBF (Taxa Básica de Juros).