Consórcios movimentam R$ 52,6 bi e crescem 6,3% em oito meses

Fonte: InvestNE, publicado em 18 de Outubro de 2012


Total de participantes aumenta e atinge 5,04 milhões, em agosto de 2012

 

O Sistema de Consórcios movimentou R$ 52,6 bilhões nos oito primeiros meses deste ano, confirmando sua importância no Sistema Financeiro Nacional. Com significativa participação das atividades nos segmentos industrial, comercial e de prestação de serviços, teve alta de 6,3% sobre o mesmo período do ano passado (R$ 49,2 bilhões). Os maiores negócios foram verificados no setor de veículos leves (automóveis, utilitários e camionetas) com R$ 24,2 bilhões, seguido pelo de imóveis com R$ 13,2 bilhões e pelo de motocicletas com R$ 9,9 bilhões.

 

O setor de pesados, que inclui caminhões, tratores, implementos rodoviários e agrícolas, termômetro da economia, chegou aos R$ 5,1 bilhões. Com totais menores, porém importantes em seus mercados, os eletroeletrônicos atingiram R$ 142,9 milhões, e o de serviços com R$ 48,4 milhões.

 

As vendas de novas cotas, um dos principais indicadores do interesse pelo mecanismo, acumularam 1,67 milhão de janeiro a agosto deste ano, 1,8% maior que as 1,64 milhão totalizadas nos mesmos meses de 2011. As contemplações, momento que os consorciados vão ao mercado para adquirir bens e serviços, somaram 807,6 mil (jan-ago/2012), 13,7% superior às 710,2 mil (jan-ago/2011) anteriores.

 

Segundo o presidente executivo da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, Paulo Roberto Rossi, “os resultados obtidos nesses oito meses, mostram que o consumidor continua considerando o planejamento financeiro como importante ferramenta de decisão para a aquisição de bens e serviços. Consumindo de forma consciente e responsável, o brasileiro, ao analisar as opções disponíveis no mercado, vem aderindo ao consórcio como forma econômica de poupar, mas com objetivo determinado”.

 

No ano que completa 50 anos, o Sistema de Consórcios, consolidado no país, confere ao consorciado contemplado o poder de compra à vista, especialmente para veículos automotores, imóveis, eletroeletrônicos e serviços, mantendo assim a atividade econômica ativa e assegurando a geração de empregos.

 

Pesquisa realizada recentemente pela Quorum Brasil, a pedido da ABAC, mostrou em múltipla resposta, que 8,97 consorciados em 10 apontam os consórcios como bem de futuro, índice superior à poupança (8,60), previdência privada (8,70), aplicação financeira (8,56) e ações (7,99) e inferior apenas aos imóveis (9,21). O levantamento também revelou que o percentual apurado em 2012 é maior que o de 2011.

 

Outro aspecto importante destacado na pesquisa foi a presença feminina que, de 2006 para 2012, vem aumentando de forma gradativa em alguns segmentos quando atingiu 155% no setor de eletroeletrônicos. Em segundo lugar, o setor de motocicletas com 63,6%, 45,8% em imóveis, e 35,7% em caminhões.

 

Segundo Rossi, “a mulher economicamente ativa vem ocupando funções de liderança como diretoria, gerência ou chefia em empresas e organizações, possibilitando assim ganhos maiores, revertendo-os tanto para a diversidade de consumo como na qualidade de vida familiar, o que a tem levado a adquirir bens duráveis por meio do Sistema”.

 

A soma dos participantes ativos chegou aos 5,04 milhões em agosto. Apresentou crescimento de 11,3% em relação aos 4,53 milhões do mesmo mês no ano passado. Ao longo dos anos, o crescimento tem sido gradativo e consolidado principalmente por utilizar um sistema de autofinanciamento, dispensar a utilização de dinheiro público e não gerar impacto inflacionário já que, por ser mecanismo regulador de demanda, torna a venda futura planejada e segura.