Pesquisa mostra que indústria do petróleo é o motor do crescimento do país

Fonte: Agência Brasil, publicado em 21 de Junho de 2013


Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil


Rio de Janeiro - A Pesquisa Industrial Anual – Empresa (PIA-Empresa), divulgada hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informa que o segmento que obteve a maior produtividade do trabalho nos últimos cinco anos compreendidos entre 2007 e 2011 foi a extração de petróleo e gás natural.

 

Essa indústria ocupava a 11ª posição, em 2007, no ranking entre 29 atividades industriais e, em 2011, assumiu a liderança.

 

A segunda maior produtividade foi atribuída à extração de minerais metálicos, que passou da primeira posição, em 2007, para a segunda classificação, em 2011. Nesse segmento, o produto de destaque é o minério de ferro.

 

“[Houve] aumento na sua produção, em termos de valor de vendas, no ano de 2011. Foi a primeira vez que ele ultrapassa o produto que é o óleo diesel, desde 1998”, disse em entrevista à Agência Brasil a economista Maristella Rodriguez, da Coordenação de Indústria do IBGE.

 

Os dados mostram que a produção de minério de ferro, em termos de valor de vendas, somou R$ 50,9 bilhões, enquanto o valor de vendas do óleo diesel ficou em R$ 48,1 bilhões.

 

É a indústria extrativa que segura o crescimento da indústria geral no período, disse a pesquisadora. Sua participação no total aumentou de 6,3% para 11,8%, ao passo que a indústria de transformação, que era 93,7%, passou para 88%.

 

Esses dois setores que apresentaram a mais alta produtividade em termos do trabalho (extração de petróleo e gás natural e minerais metálicos) mostram uma dinâmica associada aos resultados positivos no saldo recente da balança comercial e se beneficiaram, “em parte aparentemente”, da conjuntura internacional favorável, com aumento da liquidez internacional, entre outros fatores.

 

De acordo com a pesquisa, a atividade de extração de petróleo experimentou déficit na balança comercial de US$ 3 bilhões, em 2007. Em 2011, o resultado foi um superávit de US$ 7,5 bilhões. Já o superávit de US$ 10,8 bilhões apresentado pelos minerais metalúrgicos, em 2007, acabou sendo ampliado para US$ 42,8 bilhões, em 2011, em decorrência da expansão de minério de ferro. “A variação dos preços das commodities (produtos agrícolas e minerais comercializados no exterior) contribuiu, de certo modo, para alavancar os setores”.

 

Os setores da indústria extrativa mostram elevado grau de concentração, superior a 75%. A   economista do IBGE destacou, entretanto, que na análise dos grupos das quatro maiores empresas dos segmentos extrativos, observa-se uma tendência no sentido de desconcentração na extração de petróleo e gás natural, nos últimos cinco anos entre 2007 e 2011, que cai de 93,78% para 70,91%.

 

Edição: José Romildo