Banco do Brasil conclui compra de banco argentino

publicado em 13 de Abril de 2011


(Clique aqui para ler a matéria na fonte)

Fonte: Agência Brasil

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Banco do Brasil (BB) concluiu hoje (12) a compra do Banco Patagonia, o sexto maior da Argentina. O BB adquiriu 51% do capital com direito a voto da instituição financeira, o que equivale a cerca de 366,8 milhões de ações ordinárias por US$ 479,6 milhões.

A conclusão do negócio ocorre uma semana depois que a Secretaria de Comércio Interior da Argentina aprovou a transação. Esse era o último obstáculo jurídico para a realização da compra, anunciada em abril do ano passado.

De acordo com o BB, a compra das ações foi paga integralmente no fechamento do contrato. Ficou acertado que os dividendos do exercício de 2010 referentes a esses papéis serão repassados ao banco. Os dividendos representam a parte do lucro de uma empresa distribuída aos acionistas. Para assegurar a normalidade das operações, os sócios que venderam as ações continuarão a participar da gestão do banco por um período.

Por determinação da legislação argentina, o BB precisará fazer uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) referente ao restante dos papéis do Patagonia. O pedido tramita na Comissão de Valores Mobiliários da Argentina. Segundo o BB, as ações a serem compradas pelo banco serão vendidas aos sócios originais até que eles passem a controlar 25% da instituição. Daqui a três anos, o banco poderá comprar de volta a participação dos acionistas originais.

O Banco Patagonia é o sexto maior da Argentina, com cerca de 750 mil clientes, 150 agências e 2,7 mil funcionários em todas as províncias do país. Segundo o BB a compra faz parte do processo de ampliação da presença internacional da instituição financeira.

Edição: Rivadavia Severo

Leia também:

Inflação da terceira idade diminui para 2,18% no primeiro trimestre

Setor de serviços mantém em alta a procura por crédito, mas movimento cresce em ritmo mais lento, indica Serasa

China deve investir US$ 12 bilhões em tecnologia da informação no Brasil